Extrusor-Cozedor de Snack-Pellet


Descrição do produto

TECNOLOGIA EM EXTRUSÃO Expertise e know-how

Peletes para salgadinhos são produzidos secos e semi processados para facilitar o armazenamento e transporte, em uma segunda fase são expandidos, temperados e embalados. A capacidade peculiar de expansão de um pelete para salgadinho decorre da presença de fécula gelatinizada ou parcialmente gelatinizada em sua matriz. A água encapsulada na matriz, se aquecida rapidamente acima do ponto de ebulição, se evapora, criando uma pressão interna; a matriz gelatinizada se torna menos viscosa e mantém o vapor de agua no seu interior por um certo período de tempo, aumentando seu volume. O volume do produto aumenta e se endurece por conta da perda da agua, o resultado é um salgadinho leve, crocante e agradável. . As principais vantagens da tecnologia de pelete para salgadinhos.
  • Formato bem definido, comparado a produtos de expansão direta.
  • Grande variedade de escolha de matéria prima, possibilitando que toda matéria prima que contem fécula possa ser utilizada.
  • Grande variedade de sistemas de modelagem: do mais clássico produto moldado ao esfolhado, com camadas duplas ou múltiplas.
Muitos sistemas foram e são utilizados para produção de peletes de farinha e de fécula não processadas, mas o mais internacionalmente conhecido e usado é o sistema de extrusão. Extrusoras normais são usadas para dar forma ao pelete após o cozimento, para fazer produtos modelados ou para extrusar folhas ou ribbons que serão moldados e cortados longe do molde. Quando a matéria prima esta pré-cozida, para os produtos à base de batata, não há necessidade para a fase de cozimento: este processo de produção de pelete é conhecido como extrusão a frio. Toda matéria prima é processada na primeira fase de extrusão, seguindo para a fase de moldagem da massa cozida que pode ser como mencionado acima – extrusão a frio ou outro sistema capaz de dar o formato correto a massa quente, antes da secagem.   EXTRUSORA FORMADORA de parafuso único O modelo F foi desenhado para a extrusão e formação, da matéria prima prégelatinizada com temperatura controlada e/ou massa cozida vinda do extrusor de cozimento, utilizando moldes intercambiáveis e um sistema de corte adequado. Uma grande variedade de produtos, tais como salgadinhos, cerais matinais, macarrão tradicional e macarrão especial, são obtidos alterando as condições do processo, matérias primas e moldes.   EXTRUSORA DE COZIMENTO de parafuso único Extrusora de cozimento com parafuso único de seis estágios e baixo cisalhamento. modelo G200. A unidade pode processar automaticamente, de maneira continua, uma grande variedade de farinhas e féculas de cereais e de batata, misturadas ou puras. Equipada com dosador para ingredientes sólidos e líquidos, pré misturador de alta velocidade, tanque de mistura, grupo extrusor e grupo composto de motor com velocidade variada, caixa de embreagem e grupo de rolamentos de impulso. Parafuso de alimentação forçada, parafuso de cozimento modular com bloqueio de cortes intercambiáveis, barreiras segmentadas com regulagem térmica independente, sistema periférico completo com grupo de corte.   EXTRUSORA DE COZIMENTO de parafuso duplo. A extrusora de cozimento TT gelatiniza continuamente e automaticamente farinhas e féculas. Após dosar a material prima inicia a fase de mistura, ajustável de acordo com o as necessidades do produto. Depois disto vem a seção de extrusão. A extrusora TT é uma máquina modular segmentada, disponível em Sistema fechado ou concha. (até o modelo TT 70). Diferentes sistemas de aquecimento e resfriamento estão disponíveis por segmento. Eles podem ser equipados porta de alimentação, conexão para injeção de vapor ou líquidos ou ventilação (atmosfera controlada e vácuo para modelos específicos)